Moda, Negócios

O que querem os pés?

Do ticket médio aos motivos que levam à compra de calçados, muita coisa mudou no setor no período de crise. O Estudo de Comportamento de Compra do Consumidor de Calçados, do  IEMI Inteligência de Mercado, envolveu 1.252 entrevistados de todas as faixas etárias, poder de compra e região e revelou importantes alterações no comportamento de compra do consumidor. Os dados contribuem para o entendimento do mercado, e auxiliam no momento de traçar as diretrizes para o futuro.

Embora o volume de vendas tenha apresentado queda, de 903 milhões de pares em 2014 para 784 milhões no acumulado de 2016, e o preço dos produtos tenha aumentado cerca de 10% entre esses anos, o ticket médio aumentou em mais de 12%. Segundo o IEMI, esse resultado deve-se ao fato dos consumidores com renda mais baixa serem os mais afetados pelos efeitos da recessão.

calcados-comportamento-compra

grafico3

Com relação aos fatores que levam o consumidor a comprar, os preços baixos aparecem no topo da lista. Atualmente esse fator é levado em conta antes mesmo do bom atendimento, citado como prioridade  na pesquisa anterior, referente ao período pré-crise, onde bom atendimento aparecia como principal fator de importância antes da qualidade e variedade, em 2º lugar (agora em 3º) e dos preços baixos, em 3º na lista. A busca pelos preços baixos justifica, de certa forma, o crescimento das lojas de departamentos como principal canal de venda, representando 38% da última compra contra 14% em 2014.

grafico1

Em abril publiquei uma pesquisa divulgada pelo site O Negócio do Varejo sobre o aumento da relevância das lojas de deparamentos. Preços baixos, parcelamentos e a reposição veloz de produtos com variedade e novos modelos também impulsionam o crescimento das grandes redes mesmo em um momento onde muitas delas tem suas práticas ambientais e trabalhistas questionadas.

• Marca e lifestyle

Um aspecto que me chamou a atenção no estudo do IEMI Inteligência de Mercado diz respeito às marcas e à percepção delas. A pesquisa identificou que o fator marca deixou de ser decisivo no momento da escolha de um calçado. O percentual de relevância desse fator caiu, enquanto a importância da imagem e estilo dos calçados subiu de 15% para 26% tornando-se o terceiro item mais observado, atrás apenas de fatores ergonômicos.

grafico2

Esse dado reafirma a importância de criar marcas com imagem e identidade fortes, independente de ser um nome tradicional no segmento. Identificação com o público, com seu estilo de vida, e uma seleção de produtos alinhados com as principais tendências de são fatores importantes para sobreviver no mercado da moda atualmente (não apenas no setor calçadista). Marcas que não reinventam-se a cada estação e não preocupam-se com a análise do comportamento de quem a veste precisam adaptar-se aos novos consumidores: mais preocupados com a personalidade do que com a etiqueta.

(Imagem: Visual Hunt / Gráficos: assessoria IEMI)

Anúncios