Moda, Negócios, TV & Cinema

Você pode substituir Girl Boss por Project Runway

Vi todos os episódios da série Girl Boss em dois dias. Mais pela necessidade de terminá-la e assim tirar minhas conclusões do que por estar gostando. Girl Boss me deu sono. Preguiça até mesmo de comentar sobre. Uma semana depois (no último fim de semana), resolvi assistir a sétima temporada de Project Runway (ela e a oitava estão disponíveis na Netflix), e esse sim é um programa que une entretenimento e moda e vale os minutos em frente à tela.

projectrunway-1

Se Girl Boss atropelou diversas oportunidades de inserir conteúdo de moda na narrativa (que tenta ser) engraçada, a competição entre designers traz boas risadas com lições para quem estuda e trabalha na área. Para o público em geral, o programa revela a complexidade e as dificuldades de tirar uma ideia do papel além de todas as variáveis que envolvem o trabalho criativo. Por isso, trago alguns tópicos para mostrar porque Project Runway, mesmo quando old, é gold. (Pode conter spoilers involuntários).

• É preciso adaptar ideias. Cada designer tem seu estilo e convicções estéticas, porém, quando o objetivo é comercializar as criações, é necessário considerar a opinião dos clientes (no caso de Project Runway, dos jurados). A intransigência não é bem vinda no mercado, e a inteligência está em manter o conceito ajustando-o ao que agrada o público.

• Críticas virão, e é importante ouvi-las. Jogar tudo para o alto e querer desistir ao receber um comentário negativo não leva a nada. Respire fundo, absorva e analise (pois sim, algumas críticas realmente são dispensáveis) e faça dos comentários um aprendizado. Determinados “conselhos” não serão 100% úteis, mas eles nos levam a algum questionamento. E questionar-se é sempre positivo.

• Assim como as críticas, imprevistos acontecem. Manter o equilíbrio para contorná-los ou recomeçar do zero com um prazo apertado é uma vantagem competitiva. No Project Runway, desafios inesperados ou mudanças de planos fazem com que os designers revejam o rumo que estão tomando ou partam para o plano B. Ou C. Ou D.

• Desistir faz parte. Não martirize-se por fechar uma porta quando as coisas já não fazem sentido ou tiram sua paz. Desistir de uma coleção, de um projeto ou de um emprego às vezes é necessário para abrir espaço para outras oportunidades. Quem diz que “quem desiste não vence” precisa aprender um pouco mais sobre a vida: ao escolher uma coisa desistimos automaticamente de outra. Não desistir às vezes é sinônimo de ficar parado. E isso sim bloqueia o sucesso.

projectrunway-2

• Com sorte, conquistamos uma segunda chance. Já falei por aqui sobre sorte, e tão importante quanto ter é saber aproveitá-la. Independente de levá-lo a vitória ou não, as oportunidades não aparecem a toa e sempre podem trazer coisas boas. “De repente” seu vestido está no Tapete Vermelho.

• Saber trabalhar com as pessoas é tão importante quanto saber manipular os tecidos. Dentro de uma equipe de criação, não é viável impor suas ideias ou senso estético. Vale exercitar o hábito de considerar opiniões diferentes e adequar-se, afinal “duas cabeças pensam melhor do que uma”. Mesmo quando o designer desenha e produz de forma independente, manter um bom relacionamento e ser flexível com clientes e fornecedores é fundamental.

• Styling importa! E muito! A composição do visual da modelo, os acessórios, o cabelo e a maquiagem pode levantar ou destruir uma coleção. Quando não é possível contar com um stylist, pesquise referências em diversas fontes e esteja atualizado sobre a moda das ruas. O que e como as pessoas estão usando, independente de combinar com o seu conceito ou não, deve ser levado em conta na hora de mostrar seu trabalho em fotos, passarelas ou na vitrine.

• Trabalhos com personalidade sempre saem na frente. É claro que, assim como no styling, há a necessidade de construir uma imagem atual e alinhada ao que o consumidor espera, mas, uma marca só conquista e mantém seu espaço quando é capaz de manter-se fiel a si mesma inserindo novidades a cada estação. Avalie: suas criações dizem “quem você é como designer”? Sim? Let’s start the show!

(Imagens: divulgação)

Anúncios

Um comentário em “Você pode substituir Girl Boss por Project Runway”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s