Moda, Negócios

Acesso visual e físico no ponto de venda

Além do encanto despertado pela beleza, percebida através do olhar, e de produzir cenários que contribuem para que todos os produtos expostos estejam acessíveis aos olhos, um bom visual merchandising permite e convida o consumidor a experimentar sensações táteis. O acesso, visual e físico, além de sensações, tem por objetivo oferecer um ambiente confortável e eficiente; pontos de extrema importância em um momento em que a maior parte das pessoas busca agilidade e comodidade na hora das compras.

retail

Arquitetura e mobiliário são elementos importantes para uma boa acessibilidade visual e física; mas, além de escolher estrutura e equipamentos certos, sua correta distribuição no espaço físico e a alocação assertiva dos produtos faz a diferença com relação a estética, otimização do espaço e conveniência. As questões que devem ser feitas antes da escolha ou substituição do material expositivo são inúmeras, e vão das dimensões e capacidade necessárias para armazenar o tipo e volume de mercadoria trabalhada, até a adequação do material dos móveis e da forma de distribuição/composição dos produtos ao lifestyle do público-alvo.

O mobiliário, por exemplo, deve ser proporcional ao tamanho e quantidade de produtos que irá expor; e a altura das araras e o tamanho dos nichos deve ser respeitada: nada de peças arrastando no chão ou pilhas de produtos amarrotadas em cubos que não as comportam. Mais que impedir uma boa visualização e o manuseio confortável das peças, expor produtos em um espaço menor que o necessário cria a sensação de desorganização e desleixo. E um ambiente desorganizado dificulta, por si só, a agilidade das operações.

O ato de sair para comprar ou pesquisar produtos de moda é visto, principalmente pelo público feminino, como um momento de lazer, e oferecer conforto visual e espacial tornará essa experiência ainda mais prazerosa. Com tantos elementos em um mesmo espaço (produtos, estruturas, decoração e sinalizações) é fundamental avaliar constantemente cada detalhe e não abrir mão de técnica e de informação, para coordená-los e destaca-los da melhor forma.

(Imagem: Ryan Vaarsi via Visualhunt)

+ | O texto acima faz parte do e-book VM Pra quê?. Quer ler mais? Clique aqui e baixe gratuitamente.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s