Moda

Emmy Awards 2012

Fã de Tapete Vermelho que sou, vim trazer minhas impressões sobre os vestidos do Emmy Awards 2012 que aconteceu no último final de semana.

Os três vestidos na cor amarelo-limão não poderiam passar despercebidos. Dois deles não me agradaram: O Lanvin de Claire Danes parece um pouco “fora do lugar”; e o modelo de mangas longas, Dior Couture, de Julianne Moore, é “muito”.

Esse tom forte e pouco usual já chama a atenção por si só, e, assim como outros tons marcantes, pede modelos simples. O look de Julianne Moore ficou carregado não apenas pela cor do vestido, mas pela mistura de amarelo limão, mangas longas, decote fechado, cabelo solto e batom vermelho, tudo ao mesmo tempo.

O vestido Monique Lhuillier da Julie Bowen, um tomara que caia sereia quase verde, é, entre os três, a melhor opção para uma cor tão chamativa; pois além de deixar mais pele à mostra (ou seja, menos espaço preenchido pelo verde/amarelo limão) tem modelagem ajustada, sem tecido sobrando. Quando usar cores ousadas, prefira maquiagem em tons terrosos, o mais natural possível.

E já que estamos falando de amarelo, o vestido Naeem Khan usado por Leslie Mann me deixou em dúvida. Não sei se gosto do modelo, mas sei que gosto do conjunto de brinco e pulseira na cor azul turquesa. Uma pequena ousadia, pois é difícil ver contraste de cor no Tapete Vermelho.

Monocromia, simplicidade e elegância nos vestidos de Jane Levy, da designer Pamella Roland, e Jane Fallon. No primeiro, ombro drapeado e cintura marcada combinados perfeitamente ao cabelo “certinho” e às jóias “de princesa”. O detalhe no ombro do segundo vestido é sofisticado e não prejudica a silhueta, que ficou esguia e linda.

Adorei os vestidos vinho da Julia Louis-Dreyfus, Vera Wang, e da Tina Fey, Vivienne Westwood. A cor é muito elegante, assim como os detalhes com transparência, do primeiro modelo, e dourado, no tomara que caia.

O drapeado e a transparência valorizaram o look de Julia Louis-Dreyfus, mas “derrubaram” Mayim Bialik, que vestiu um modelo da Pamella Roland com tecido demais. O exagero de volume (nas mangas, no busto, no abdômen) engordou. E o cabelo solto cobriu o pouco de pele que estava à mostra. Pecando pelo contrário, o vestido Alexandre Vauthier de Heidi Klum tem tecido “de menos”. Decote profundo, transparência e duas fendas mostram muito.

O look da Kelly Osbourne, que combinou o vestido Zac Posen lilás com o cabelo e a maquiagem (vejam o detalhe com glitter aqui) , tinha tudo para ficar exagerado. Mas, gostei do resultado moderno do  “tom sobre tom” da composição. E vocês?

Julianna Margulies, vestindo a alta costura de Giambattista Valli, e ElisabethMoss, de Dolce & Gabbana, desfilaram modelos florais. Entre os dois, fico com o primeiro pela ausência de detalhes. A combinação de floral com fundo preto, drapeado no busto e babados me deixou com a impressão de informalidade, o contrário do que pede a ocasião. As duas acertaram na escolha do penteado: cabelo preso é sempre bem-vindo quando o vestido possui estampas, bordados ou detalhes marcantes.

Os brancos da Nicole Kidman, vestindo Antonio Berardi, da Emilia Clarke, que vestiu Chanel, são diferentes sem perder a elegância. Bordados estão em alta e, sobre o branco, não “pesam”. Nos pés, prefiro o sapato nude do segundo look.

O modelo perigoso da Emilia Clarke não deixou o quadril desproporcional, ao contrário do vestido da Prada, usado por Lena Dunham que “aumentou” ombros e quadris. Outro vestido que desfavoreceu a silhueta foi o escolhido por Christina Hendricks, do designer Christian Siriano. Cor clara, cinto largo e modelo sereia não ajudam quadris largos.

Brilho e sutileza nos vestidos de Kerry Washington, que vestiu Vivienne Westwood, e Jane Krakowski, vestindo Kaufman Franco. Os modelos acompanham as curvas do corpo e dispensam outros detalhes. “Simples” e chique.

Deixei para o final os meus favoritos, começando pelo vestido Jason Wu da Jessica Paré que mostra delicadeza ao adotar o preto+branco em eventos de gala: Vestido branco + cinto fino e bolsa de mão preta. Os cabelos foram presos, para deixar o detalhe do ombro brilhar, e a ausência de colar permite brincos maiores.

January Jones foi de Zac Posen poderoso, com muita textura e volume no lugar certo, que dispensa comentários. Na beleza: Cabelo “nada” para compensar a maquiagem marcante dos olhos. Linda!

No início da semana coloquei no Facebook um link do GNT com as tendências de beleza do Tapete Vermelho do Emmy (aqui) e aproveito para deixar também o link do Dia de Beauté (aqui), com as favoritas da Victoria Ceridono.

(Imagens: reprodução)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s