Moda, Negócios

XIV Oficina de Tricô | Tendências

Nessa terça-feira, no Sebrae, rolou a XIV Oficina de Tricô do Sinditêxtil PR com palestras sobre tendências e exposição de fios para malharia retilínea já de olho no outono/inverno 2012. Durante a tarde aconteceram palestras para os segmentos infantil, masculino e feminino; mas como é muita informação vou fazer aqui no blog um resumo (mesmo!) do segmento feminino em dois posts: um com tendências e outro específico de cores.

No próximo inverno a Moda continuará revisitando o passado. Das décadas de 1930 e 1940, o Art Déco traz para os tricôs o brilho dos fios metalizados (ou fios “opacos” em mistura com lurex); e padrões sofisticados inspirados nas artes decorativistas.

Na foto, fios especiais metalizados da Trifil e vestido (pasmem!) dourado da Daslu. Gosto muito do impacto dos tricôs inteiramente metalizados, mas comercialmente eles devem aparecer em mistura como na peça acima.

O minimalismo, a geometria e a silhueta A dos anos 60 estarão presentes. Daqui também saem os mini-vestidos (e referências à Mary Quant, a “criadora” da mini-saia)  e túnicas para usar com legging, que se também for de tricô forma um confortável dupla. Padrões ópticos e listras (que permanecem), dividem espaço no vestido da foto que ainda agrega fios metalizados.

Lembrando que as listras não estão apenas nos padrões, mas no próprio ponto do tricô canelado (que é aposta forte). Na outra imagem, mistura de texturas em preto e branco.

A aproximação com a natureza (e com o artesanal) traz peças amplas e confortáveis com inspiração em índios apache e povos nórdicos. Tendo como ponto de partida o caráter de proteção das vestimentas, os tricôs pesados estão em capas e ponchos. Outra aposta são os pontos abertos para criar sobreposições.

Maxi poncho com gola alta e tons terrosos e nudes “sujinhos” da Lansul e Acrilan (no próximo post falarei sobre as cores).

As sobreposições e modelagens irregulares, assim como os amplos, trazem também a atmosfera grunge da década de 1990. Para criar looks sobrepostos as peças são curtas ou longas, e devem aparecer também peças com falsa sobreposição (manga curta com “forro” longo, por exemplo). Efeitos destroyed e manchados entram nesse grupo.

Pontos largos (para criar volume) em sobreposição e em casaco com multi texturas. A dica é usar uma básica canelada (e justa) como “base” para os tricôs pesados.

Por fim, looks-inspiração: tricô dourado, mini-vestido justinho, sobreposição com padrão folk e peça ampla “alargada” (a cava fora do lugar é tendência).

(Imagens: acervo pessoal e reprodução)

Anúncios

4 thoughts on “XIV Oficina de Tricô | Tendências”

  1. Sou apaixonada por tricô. Comprei para minha mãe, há dois anos, uma blusa de tricô com pontos pequenos mas cheio de texturas. Para compensar, a cor era um rosa/nude bem lindinho *–* E agora tô com vontade de comprar um pra mim também =D

    *Adorei o post, super informativo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s